Escola de Socioeducação capacita profissionais do IEMA em ação intersetorial – ESMA – Escola de Socioeducação do Maranhão

Escola de Socioeducação capacita profissionais do IEMA em ação intersetorial


A Escola de Socioeducação do Maranhão (ESMA), da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac), realizou a Formação Básica em Socioeducação para os profissionais do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), que vão acompanhar os socioeducandos nos cursos profissionalizantes que serão oferecidos nos Centro Socioeducativos da Funac. 

Foram ministradas temáticas sobre Medidas Socioeducativas, Projeto Político Pedagógico, Noções de Segurança e Regimento Interno de Internação. A diretora Técnica da Funac, Lúcia Diniz, ressalta que o dia de formação marca o retorno da ação intersetorial com o IEMA, tendo como foco a educação profissional.  “As atividades tinham sido paralisadas no contexto de pandemia e agora estão retornando. Em breve, estaremos com a realização dos cursos no Centro Socioeducativo. A previsão é que os cursos comecem ainda neste mês de setembro”, afirma.

De acordo com Márcio Lopes, do IEMA, a formação realizada pela ESMA é de extrema relevância para compreender como funciona a dinâmica da rotina socioeducativa. “As unidades da Funac são espaços de aprendizagem, construção da identidade, de valores e esse entendimento de ver os adolescentes e jovens na perspectiva integral é fundamental para programarmos qualquer ação educativa. Não se trata apenas de levar o curso de formação técnica, é preciso apreender que ali tem também uma transmissão de valores, de princípios e de construção coletiva”, pontua. 

“Aprendemos muito sobre a proposta pedagógica da Funac, entendendo a dinâmica das unidades. É muito bom saber que os professores estão engajados também relatando as suas experiências e estou muito feliz com essa formação e eu acredito que vai ser fundamental para subsidiar essa ação intersetorial do IEMA com a Funac”, complementa Márcio. 
 

O supervisor dos curso, Valdiran Silva, diz que a qualificação profissional é importante. “É sempre bom agregar mais conhecimentos. É a primeira vez que vou supervisionar as atividades no Centro Socioeducativo e o curso foi muito produtivo”, declara.

Para a instrutora de artesanato, Walkiria Araújo Santos, conhecer a equipe e as diretrizes do local que vai atuar contribui para pensar nas estratégias de ensino. “A formação foi importante, pois pude entender como funcionam os Centros Socioeducativos”, enfatiza.

Relacionadas

Nenhuma tag cadastrada